menu
close

XIII Confeipol aquece discussão sobre o papel das entidades classistas no fortalecimento da Polícia Civil

Publicado: 2017-12-04 13:56:32

O XIII CONFEIPOL, ocorrido em Palmas, Tocantins, nos dias 29 e 30 de novembro, teve discurso uníssono por parte dos representantes dos Policiais Civis do Brasil no que tange aos caminhos que devem ser tomados para alcançar um modelo de polícia judiciária mais moderno e eficiente. Com o tema “Polícia Civil: O papel das entidades sindicais no fortalecimento da carreira e da instituição”, o evento contou com três temas centrais - o direito de greve, palestra do Dr. Diogo Póvoa; a PEC 287/2016, com tema discutido mediante posicionamento da COBRAPOL, através de seu presidente, André Gutierrez; e Projetos de Leis que vislumbram a modernidade e o fortalecimentos da carreira dos profissionais da Polícia Civil, com o OPJ do Sinpol-CE, apresentado por Francisco Lucas e Ana Paula, Presidente e Vice, do referido sindicato, respectivamente e a Lei Orgânica Nacional, ministrada por Itamir Lima, presidente da FEPOLNORTE.

Para os participantes do XIII CONFEIPOL, o ponto a destacar-se foi o envolvimento de várias entidades de todo o país, apresentando novas e boas perspectivas para o futuro dos policiais civis do Brasil. “Tivemos a oportunidade de recepcionar um evento que marca positivamente novos rumos para a polícia civil e esperamos ser atores das mudanças que precisamos para ampliar nossas conquistas”, destacou Ubiratan Rebello, presidente do Sinpol-TO e anfitrião do evento.

As deliberações e os encaminhamentos quanto aos temas abordados mostraram maturidade e união de esforços dos representantes sindicais presentes que vislumbram uma organização do movimento, tanto na proteção de direitos, quanto na busca por um patamar mais elevado para os policiais civis. “O momento requer uma postura de união para que as entidades representativas tenham força e alcancem seus objetivos que são comuns à categoria”, disse Marcilene Lucena, diretora da Feipol-CON, Sinpol-TO e organizadora do Confeipol.

Um dos palestrantes do evento, Itamir Lima, destacou a importância de propostas que efetivamente tragam mudanças e evitem a perca de prerrogativas e espaço dos policiais civis. “Temos propostas, estamos nos organizando e a união tornou-se uma realidade e, desta forma, podemos construir os caminhos para uma polícia civil mais eficiente e com uma carreira para seus profissionais.”

O XIII Congresso da Feipol diz muito sobre a Polícia Civil, o que querem e buscam, esse ponto foi destacado e muito comemorado por Divinato da Consolação, presidente da Feipol-CON. "Nós queremos uma entidade organizada e forte. A união das entidades tem proporcionado o fortalecimento do sistema confederativo. Os últimos congressos realizados contou com a presença de representantes de todas as Federações e Confederação e o XIII CONFEIPOL representou e intensificou ainda mais essa unidade. Com isso, podemos dizer que a síntese do Congresso é a consolidação dessa nova conjuntura e estou confiante que teremos entidades mais fortes, coesas e organizadas, tornando-nos a representatividade que os policiais civis do Brasil precisam e merecem”, destacou, Divinato.

Por fim, o Presidente agradeceu à todos os que participaram. “Agradeço o empenho dos colegas e competentes diretores da Feipol e do Sinpol-TO, que trabalharam arduamente para o sucesso de nosso evento, agradeço aos palestrantes e todas as entidades que se fizeram presentes e estou certo que todos contribuíram de forma relevante para alcançarmos esse animador resultado”, encerrou Divinato da Consolação.